terça-feira, 29 de junho de 2010

Pracinha





Queria namorar você,
naquele banco de madeira,
daquela pracinha cercada de flores,
em uma noite de verão,

sob a vigilância e o olhar austero da lua
a nos seguir discretamente;
movimentando-se pelo céu,
flutuando sobre o manto brilhante das estrelas.

Queria dar-lhe um beijo apaixonado e
ardente
no banco daquela pracinha,

deixando a lua que,
insistentemente nos acompanha,
tão envergonhada a ponto de ir esconder-se
atrás de uma distráida nuvem
a vagar pelo céu soprada pela brisa morna daquela noite.

Queria ouvir,
no banco de madeira daquela pracinha,
juras de amor suas acompanhadas pela trilha sonora da sua risadinha maliciosa e gostosa.

Queria iluminar-lhe com o meu olhar,
no banco daquela pracinha,
sempre que a lua for agasalhar-se eum uma nuvem.

Queria sentir, naquele banco de madeira,
a peculiar essência do seu perfume
misturada ao cheiro das flores que decoram a pracinha.

Queria aninhar a minha cabeça em seu peito
no banco de madeira daquela pracinha.

Queria brigar com você,
no banco daquela pracinha,
e vê-lo lançar-me aquele olharzinho magoado,
que só você sabe lançar,
derreter-me toda por dentro,
destruindo todas as minhas defesas.

Aquele seu olharzinho magoado
tem o poder de atingir-me e penetrar-me tal como a flecha
disparada pelo mais experiente arqueiro.
Queria pedir-lhe, depois de brigar com você, desculpas,
no banco de madeira daquela pracinha.

Queria fazer do banco de madeira daquela pracinha nosso principal confidente,
pois sei que é mudo e surdo.

12 comentários:

seuvicio disse...

Mta vergonha pra quem se diz despudorida.

Vagner Figueiredo disse...

Valeu, é que não tava usando o word e tava meio bêbado, rs
Gostei do seu blog. Adoro esse tipo de coisa, :)
Abraço!

Pobre esponja disse...

Ficou singelo, bonito.
Legal que mostrou várias nuances de um amor à praça.

bj
Pobre Esponja

Ítalo Richard disse...

Adorei, achei muito legal, romântico sem ser piegas e com humor. Muito legal, namorar na pracinha é muito bom. Rsrsrs

abraço,
www.todososouvidos.blogspot.com

Vc curte rock? disse...

Taí um bom lugar pra se fazer amor, no banco da praça. Sair da monotonia.

Lyla disse...

awn, adorei

egofashionista disse...

seus textos são excelentes,,pena que vc tambem usa ele pra arrumar brigas....
mesmo assim parabens pelo blog!

Andreia D. Bilenkij disse...

Adorei seu texto, Fabíola. E o mais interessante dele... o banco da praça sempre está presente, aquele banco de madeira que quase ninguém dá valor, é o real protagonista que aconchega os amantes.
Fabíola, se você se interessar em escrever um poema ou poesia para a Revista Digital O Poeta, está aí meu convite. O prazo era até ontem, mas vou abrir por mais um mês.

Revista O Poeta
http://revistaopoeta.blogspot.com/

Abraços!
http://virtualprancheta.blogspot.com/

kbritovb disse...

caraca mto bom hein
eita amasso

AURÉLIO SIMÕES disse...

OLÁ, FABÍOLA. DESCULPE PELA DEMORA DA RESPOSTA. ESTAVA MUITO OCUPADO. UMA BOA NOTÍCIA. MEU LIVRO É FINALISTA DO CLUBE DE AUTORES, SITE QUE VENDE MEU LIVRO. NESTA ETAPA DO CONCURSO O PRIMEIRO CAPÍTULO ESTÁ DISPONÍVEL PARA TODOS OS LEITORES. SE VOCÊ SE INTERESSAR PELA OBRA E QUISER ME AJUDAR COM O SEU VOTO, EM MEU BLOG VOCÊ ENCONTRARÁ UM POST COM TODAS AS INFORMAÇÕES. UM ABRAÇO E ESTAREI DE OLHO EM SEUS MARAVILHOSOS TEXTOS.

Dan Souza disse...

Adorei!!!
Mostra de uma forma muito bonita o namoro de praça e os namoros de uma forma geral.
O texto tem muito sentimento e foi muito bem escrito.
É lindo!^^

MorelHP disse...

Muito bom,

m/

Postar um comentário

 
↑Top